Colégio Magnum - Uma escola para sempre

Colégio Magnum Cidade Nova - Uma escola completa



Acontece no Magnum

PLANTÃO PSICOLÓGICO PARA JOVENS ESTUDANTES

Imagem destacada

O Magnum implementou o serviço de “Plantão Psicológico” para seus alunos. Uma grande conquista no sentido do fortalecimento da rede de apoio ao estudante, que visa tanto à promoção do desenvolvimento pessoal e escolar do aluno, como à ampliação do trabalho de acolhimento junto aos demais profissionais responsáveis no Colégio.

No dia a dia escolar, já são trabalhadas as habilidades socioemocionais como o autocuidado e a importância do autoconhecimento. Contudo, sabemos que tais habilidades necessitam de orientação e acompanhamento, já que existem particularidades no modo como os jovens vivenciam esse estágio do amadurecimento e enfrentam as ansiedades comuns a essa fase da vida.

Nesse sentido, a equipe de acolhimento, composta pelos coordenadores de áreas, pedagogos, professores e auxiliares, agora conta também com o serviço de psicologia, para atender às demandas dos alunos relacionadas a questões de ordem psicológica.

De acordo com Danielle Matos, psicóloga responsável pelo plantão psicológico no Colégio, “o plantão psicológico é um serviço de acolhimento do estudante e destina-se ao fortalecimento psíquico nos momentos de urgência subjetiva, atuando, assim, na prevenção do agravamento do estado de angústia e, em última instância, na promoção de saúde mental dentro da escola”.

Para falar mais sobre o serviço de plantão psicológico realizado pelo Colégio, confira a entrevista realizada com a psicóloga Danielle Matos. 

 

O que é o plantão psicológico?

O plantão psicológico atua como um serviço de Psicologia, junto à equipe pedagógica, colaborando para a ampliação da rede de apoio ao estudante. Para tanto, constitui-se como um atendimento psicológico breve, pontual, focado na urgência subjetiva, presente no momento da busca dessa escuta, auxiliando na integração do funcionamento psíquico do jovem.

 

Quando é realizado?

O aluno pode procurar o atendimento do plantão às quintas-feiras à tarde, de 14h às 17h, e sextas-feiras pela manhã, de 9h às 12h. Trata-se de uma busca espontânea, pois é um serviço de porta aberta, sem necessidade de agendamento prévio. O aluno, quando estiver se sentindo angustiado, ansioso, ou confuso, vivendo alguma situação difícil, pode buscar o plantão, e será acolhido nesses dias e horários.

 

Qual é o enfoque?

O adolescente contemporâneo tem demandado uma nova postura dos profissionais responsáveis pelo cuidado, seja no campo da educação ou da saúde mental, tendo em vista nosso contexto cultural, marcado pela aceleração do fluxo informativo, aumento da individualização competitiva e do isolamento. Torna-se urgente, portanto, a criação de espaços de significação, aliados à escuta atenta e acolhedora, que possam auxiliar o jovem a tecer sentido para as experiências da vida.

Diante disso, nosso foco é ofertar um espaço potencial para a elaboração e construção de narrativas das experiências. Ao proporcionarmos um ambiente e uma escuta cuidadosa, apostamos que possa ser facilitada a elaboração daquelas questões subjetivas que ainda não encontraram um destino saudável e criativo.

 

Quais são as características do serviço e qual a proposta do plantão psicológico no Magnum?

O plantão psicológico caracteriza-se por ser uma “porta aberta”, destinado ao acolhimento e a escuta terapêutica de questões psicológicas do estudante. Porém, não se constitui como um tratamento psicoterápico e nem o substitui, pois se propõe a acolher demandas pontuais do adolescente dentro da escola.

 

O acompanhamento tem um público-alvo?

É um serviço voltado especialmente para alunos e alunas, a partir do 7º Ano do Ensino Fundamental até a 3ª Série do Ensino Médio.

 

Qual a principal contribuição do plantão psicológico na vida dos estudantes?

É um espaço em que o aluno vai ser ouvido, escutado e provocado a refletir sobre aquela experiência atual que se apresenta como um gatilho gerador da angústia.  Desse modo, busca-se conter os estados ansiógenos, ampliar o autoconhecimento e fortalecer o jovem no enfrentamento das frustrações nesse momento da vida.

 

Existe um momento ideal para buscar esse acompanhamento? Se existe, quando procurar e por que procurar ajuda?

O aluno geralmente é o seu termômetro, ele é quem vai perceber qual é o momento em que ele precisa e se sente à vontade para procurar ajuda. Pode acontecer que alguns jovens necessitem de apoio para isso, e, nesses casos, ele pode vir acompanhado ou indicado por um amigo, por exemplo. De qualquer modo, a busca pelo atendimento é espontânea, quando o jovem sentir necessidade de compartilhar suas experiências com algum profissional, que não irá julgá-lo, mas irá acolhê-lo, escutá-lo, valendo-se dos recursos terapêuticos da psicologia científica. 

 

No momento em que você acompanha o aluno e percebe a necessidade de comunicar aos pais, como é realizado esse manejo, já que o jovem pode não querer se expor?

Em alguns casos especiais, é um dever ético nos valermos do apoio da família ou até mesmo da equipe pedagógica. São situações em que o estudante necessita do apoio de outros serviços, para a reintegração da sua saúde psíquica. Quando for detectada essa necessidade, cuidaremos de preservar a relação de confiança com o estudante e realizaremos as intervenções adequadas, de modo a viabilizar a restauração da saúde de forma integrada.

 

 

Danielle Matos (CRP 04/19655)

Psicóloga, Mestre e Doutoranda em Psicologia/Psicanálise/UFMG.

Psicóloga do Plantão Psicológico do Colégio Magnum Cidade Nova.

Supervisora clínica do Projeto Cavas/UFMG.

Professora de Psicologia da Faculdade FEAD/MG.

Coordenadora da Palavra e Cia - Centro de Especialidades Humanas.