COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

Notícias  

Como a escola ajuda os alunos a terem uma visão de sustentabilidade

24 junho 2021

   É muito importante inserir conversas sobre sustentabilidade desde cedo na escola. As crianças, quando convivem com essa temática a partir do início de sua formação, aprendem a relevância de se informar, questionar hábitos e repensar o cotidiano para melhorar seu impacto no mundo.

   Sustentabilidade é, por definição, um conceito dividido em três pilares: econômico, ambiental e social. O objetivo é suprir as necessidades humanas, sem desgastar recursos naturais, preservando a natureza e não gerando prejuízo para futuras gerações.

   É justamente por isso que abordar as diferentes facetas da ideia de sustentabilidade na escola torna-se imperativo na atualidade. A criança que, no Ensino Fundamental, aprende o valor da água potável não vai desperdiçá-la.

   O Magnum insere a sustentabilidade em seu modo de existir tanto em sala de aula, como conhecimento social e científico, quanto nos valores educacionais e nas atividades extracurriculares. Em todos os setores formativos, é essencial analisar como, quem e o que impactamos com nossas atitudes.

 

Trazer o meio ambiente à tona

   “O meio ambiente está ligado a cada parte da história mundial, do desenvolvimento tecnológico, racional, comportamental e cultural”, reflete Alessandra Caixeta. “Por isso, deve ser tratado em conjunto e interação com esses tópicos. Dada a importância do tema, os estudos devem ser dispostos para diferentes idades e métodos diversificados que devem ser aplicados”.

   Ela acredita que todas as fases escolares devem ser envolvidas nessa discussão. “Debates, trabalhos e aulas práticas estimularão os alunos a se sentirem mais interessados no assunto, além de despertar o protagonismo e o senso crítico, buscando sempre a inovação e a autonomia”.

   E os resultados são comprovados na visão dos estudantes do Magnum. “Trazendo um pouco a minha realidade como aluna da 3ª Série do Ensino Médio do Colégio, se hoje tenho um envolvimento grande com o tema em questão é, em grande parte, devido a projetos como a ONG Mirim SOS Terra, a qual fui representante, excursões a centros de reciclagem, debates em salas de aula e, claro, ao projeto do qual participo atualmente: o Magnum Sustentável”, compartilha Rafaela Moraes Miserani, aluna do Colégio Magnum Cidade Nova.

   Continue a leitura deste artigo e conheça a ONG Mirim SOS Terra e outras experiências Magnum em prol da sustentabilidade.

 

Ser parte do mundo

   “A partir dos estudos ambientais, diversas habilidades são desenvolvidas. Não apenas a consciência política, isto é, entender melhor o espaço em que estão inseridos e as relações que baseiam nossa forma de vida. Os estudantes adquirem um grande senso de liderança ao se perceberem agentes capazes de ação”, diz Alessandra.

   Outro ponto que ela acha importante é a empatia. “Quando o estudante passa a se entender como parte da estrutura ambiental, que gera impactos e é impactado também, a empatia passa a ser um sentimento presente, que acaba por contribuir em diversas áreas sociais”.

   “Conhecer o meio ambiente é também se conhecer, já que os impactos naturais não são mais tão distantes e a estrutura se interliga entre todos”, ressalta Alessandra. “Os alunos, ao descobrirem mais sobre o espaço em que vivem, podem não só desenvolver habilidades, como também ser impactados pela juventude coletiva que luta por nosso mundo. A partir disso, temos a formação de estudantes críticos que entendem a grandiosidade natural e a importância de cada um para a sua proteção”, conclui.

 

ONG na escola

   Rosália Lopes, coordenadora do 2º Período da Educação Infantil e do 1º Ano do Ensino Fundamental, explica que a sustentabilidade está alinhada à missão educacional do Magnum. Afinal, a criança que desde o Ensino Fundamental aprende o valor da água potável não vai desperdiçá-la. A visão é a mesma quanto aos diferentes aspectos sustentáveis.

   “O Magnum preocupa-se com os alunos de forma ampla e integrada. Por isso, tem como objetivo o desenvolvimento das habilidades socioemocionais e da moral autônoma, por meio de experiências planejadas, da convivência e da integração com as pessoas com que se relacionam. Tudo isso para que os alunos aprendam e coloquem em prática, em suas atitudes, ações coerentes com princípios e valores norteadores do nosso trabalho formativo”.

   Atentar para o impacto ambiental de suas atitudes é, portanto, uma demonstração de valores como empatia, justiça, amor ao próximo e verdade. Em 2008, o Magnum propôs um trabalho a partir do tema transversal “Sua atitude faz a diferença”, o que resultou na criação da ONG Mirim SOS Terra pelas professoras e alunos do 1º Ano do Ensino Fundamental.

   A ideia era fazer a diferença no ambiente em que vivemos, ou seja, pensar em ideias e propostas que contribuíssem para ajudar a preservar o meio ambiente e ensinar as pessoas a cuidar do planeta de maneira mais consciente. “Como as crianças nesta faixa de idade não têm ainda muita autonomia, o trabalho foi pautado nas ações possíveis de se realizar na escola e na casa de cada criança, e que elas pudessem repassar as ideias e executá-las para praticar a sustentabilidade e, como consequência, ajudar o planeta com pequenas ações do nosso dia a dia”, revela Rosália.

 

Da escola para o mundo

   A preparação das crianças para o desenvolvimento de uma visão de mundo sustentável deve ser trabalhada, extrapolando os limites que a sala de aula impõe. Trazer atividades dinâmicas que estimulem os alunos a se manterem em contato constante com o tema e a entenderem um pouco mais da realidade, permitindo que esse estudo vire um conhecimento base para eles. Essa é a visão da gestora Alessandra e da aluna Rafaela Moraes Miserani.

   Elas acreditam que manter uma continuidade de ensino, ou seja, discutir e apresentar o tema com mais frequência em todos os anos, resultará em um maior envolvimento geral. Foi o que aconteceu com o projeto da ONG com os alunos. Conforme relatos da coordenadora Rosália, ele é realizado muito além do ambiente da escola.

   Isso porque a atividade também atentou para ensinar a todos da comunidade a se envolverem e participarem dessa causa, buscando uma compreensão mais crítica e global. Dessa forma, todos os envolvidos podem desenvolver atitudes que permitem adotar posturas mais conscientes e participativas a respeito das questões relacionadas à conservação e à utilização dos recursos naturais, pensando na melhoria da qualidade de vida e na preservação do planeta”, explica a coordenadora.

 

Conheça posturas sustentáveis estimuladas no Magnum

  • Recolher materiais recicláveis como garrafas PET e pilhas e dar a eles um destino correto.
  • Recolher as aparas de papel nas salas de aula, para serem destinadas à reciclagem.
  • Recolher óleo que seria descartado no meio ambiente para entregar às empresas especializadas nesse recolhimento, ou utilizá-lo para fazer sabão.
  • Atentar para o consumo consciente da água.
  • Usar garrafinhas individuais na escola, para diminuir o uso do copo descartável.
  • Não desperdiçar energia elétrica.
  • Realizar campanha contra o uso de canudinhos plásticos.
  • Educar família e amigos sobre gastos excessivos.
  • Diminuir o lixo em casa e na escola.
  • Destinar materiais que seriam descartados para reutilização.

   Outras mudanças de posturas são trabalhadas a partir de vivências como apagar a luz e o ventilador ao sair da sala, reduzir o lixo do lanche usando potes e garrafas retornáveis.

   Uma das ações da ONG é juntar garrafas PET e enviá-las para a Cooperativa de Reciclagem e Produção Artesanal dos Aposentados e Empreendedores de Sabará e Cidades de MG, que as transforma em vassouras.

   Outra parceria que envolveu os alunos foi a arrecadação de embalagens de vidro com tampa de plástico, para ajudar a Maternidade Odete Valadares a armazenar leite materno. As crianças começaram uma campanha com os familiares e trouxeram muitas embalagens, as quais foram encaminhadas para a maternidade, onde foram lavadas e esterilizadas. O leite é colhido pelas lactantes e, posteriormente, doado para mães que não tiveram leite e também utilizado com bebês prematuros.

   Muitas iniciativas também surgiram com o Magnum Sustentável e as famílias, que a cada ano traziam novas ideias e vontade de contribuir com uma causa tão importante de ser estimulada bem cedo nas crianças.

   A cada ano, os alunos repassam os projetos iniciados para as novas turmas, que têm a responsabilidade de dar andamento e trazer novas ações sustentáveis para o Magnum.