COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

Notícias  

Como falar de virtudes com as crianças na Educação Infantil

08 junho 2021

   Virtude é qualidade daquilo que está de acordo com o que é considerado correto e desejável do ponto de vista moral, religioso e do comportamento social. Esses são conceitos de acordo com o dicionário Caldas Aulete. São exemplos de virtudes: temperança, generosidade, justiça, otimismo, humildade, bondade, empatia, honestidade, disciplina e coragem.

   Pode-se dizer, portanto, que virtudes são um conjunto de características que, quando atribuídas a alguém, revelam sua excelência humana.

   O ensino de virtudes na escola, principalmente na Educação Infantil, é uma das formas de incorporar uma formação mais completa e humanizada, juntamente com o currículo educacional.

   Parte da missão do Colégio Magnum Cidade Nova é, então, garantir que, além de conhecimento acadêmico e técnico, os alunos saiam da escola mais preparados para a vida em sociedade. Assim, valer-se dos conceitos das habilidades socioemocionais é o caminho adotado pelo Colégio para a construção desse repertório humano arraigado de valores.

O Magnum também incorpora a visão espiritual, ao ensinar sobre as virtudes, e os alunos aprendem os caminhos para serem pessoas de bem para si e para o próximo. Como explica Breno Almeida, coordenador da Espiritualidade Magnum e professor de Ensino Religioso, a questão não é só aprender os conceitos das virtudes, mas sim saber aplicá-los na vida.

 

Como falar de virtudes para crianças

   O professor conta que aborda os temas das virtudes de forma lúdica nas aulas da Educação Infantil. Utiliza as histórias bíblicas e o reforço dos conceitos ensinados por meio de brincadeiras e conversas, tornando o conteúdo e o conhecimento partilhado mais acessível para as crianças em desenvolvimento.

   Por exemplo, em uma situação de desavença, o professor ensina sobre o que é ser uma pessoa mais empática e compreensiva. Desta forma, os alunos não só desenvolvem melhores laços dentro da escola, como também desenvolvem atitudes e hábitos de caráter que serão válidos para toda a vida.

   O coordenador conta que o ensinamento das virtudes desde cedo para as crianças é algo valorizado pelos pais, muitos deles ex-alunos do Magnum. “Eles costumam dizer que ter aprendido essas habilidades e atitudes desde cedo fez com que se tornassem pessoas mais empáticas e mais respeitosas, o que por sua vez reforçou vínculos positivos e fez com que seus relacionamentos no futuro – tanto pessoais quanto profissionais – fossem mais estreitos e positivos”.

 

Quais virtudes que devemos ensinar para as crianças

   Algumas virtudes abordadas em destaque no desenvolvimento dos alunos são paciência, empatia e solidariedade. As virtudes devem ser ensinadas conceitualmente, mas os alunos precisam ser estimulados para a sua prática no cotidiano.

   Por exemplo, ter paciência é muito importante no ambiente escolar. O coordenador conta que a virtude foi fundamental nas aulas do ensino remoto. Ele aproveitou o momento para reforçar para os alunos que é importante esperar sua vez de falar, assim como no ensino presencial. “Temos que saber que nada acontece sempre da minha forma, do jeito que eu quero. Então, eu tenho que ter paciência para esperar a hora do outro também”, diz ele.

   Empatia e solidariedade são outras virtudes muito abordadas em aula. Nesse aspecto, é preciso proporcionar momentos para a criança enxergar no outro a importância de ser respeitada e de olhar para o próximo como gostaria de ser tratada/olhada.

   Hábitos como ajudar os colegas e ter compaixão diante das dificuldades enfrentadas pelo outro também devem ser cultivados desde a Educação Infantil. O professor conta que os alunos já vivenciaram momentos em que algum colega precisava de ajuda em alguma atividade ou para se locomover e todos foram muito empáticos e sempre disponíveis para ajudar. Esse tipo de lição fica para a vida toda.

   O altruísmo também é trabalhado em aula. O coordenador explica que essa virtude, na verdade, está muito ligada à abertura que devemos dar ao próximo e colocar as necessidades do outro como tão importantes quanto as nossas. É ser uma boa pessoa, acima de tudo, por ter um desejo genuíno de fazer o bem para alguém ou em dada situação, para tornar os ambientes mais positivos. Isto é, não vale fazer o bem para receber aplausos ou ganhar algo.

 

Parábolas bíblicas e o ensinamento das virtudes

   Escutar o próximo para entender e realmente ajudar é algo muito difundido nas aulas. Baseando-se nos princípios de Jesus, ajudar é fazer com o outro o que ele precisa, colocá-lo à frente e não o que você gostaria que fosse feito. Esse é um dos caminhos, destacado nas aulas, para propagar os conceitos das virtudes sob a ótica cristã.

   O coordenador Breno conta que também utiliza parábolas bíblicas para colocar em voga o assunto, lembrando que as parábolas estão contidas nas escrituras e se assemelham às fábulas, e sempre proporcionam algum ensinamento além do aspecto espiritual.

   Por exemplo, o professor utiliza duas passagens históricas da vida de Jesus para trabalhar as virtudes da paciência e da persistência. Uma delas é um dos milagres de Jesus, a cura do cego Bartimeu, narrado em três evangelhos (Marcos 10:46-52, Mateus 20:29-34 e Lucas 18:35-43) e que ocorreu quando Jesus passava perto de Jericó, antes da Paixão. A outra é a cura de um paralítico em Cafarnaum. Esse milagre está relatado no livro de Lucas (5:17-26) e no livro de Marcos (2:1-12).

   Na primeira parábola, Bartimeu encontrou muitas dificuldades para se aproximar de Jesus. Foi paciente e persistiu em buscar o que tanto almejava: clamar pela misericórdia de Jesus e voltar a enxergar. Isto é, ter paciência, saber esperar mesmo em uma situação adversa, difícil ou diferente pode ser um caminho valioso para se alcançar seus objetivos.

   Na segunda parábola, vemos que o paralítico soube esperar, não perdeu a sua fé. Teve paciência que alcançaria a graça de voltar a andar após 40 anos.

 

Virtude no dia a dia

   É claro que, mesmo durante todo esse aprendizado de se tornar uma pessoa virtuosa, é importante não julgar. O professor cita outro ensinamento de Jesus: que atire a primeira pedra quem nunca errou. “Uma palavra que eu falo muito com as crianças é respeito. Temos que saber respeitar os outros. Se ele faz ou ele não faz algo, não cabe a mim julgar.”

   Ele reforça que todos possuem potencial de se transformarem em indivíduos virtuosos. Para isso, escola e família precisam estar unidas no propósito de transformar vidas por meio da educação e do respeito.

   Nesse aspecto, citamos a seguir seis parábolas para ler em casa com as crianças, lembrando-se de mostrar para os pequenos como aplicar os conceitos no cotidiano. Quanto mais situações de exemplo, mais vivência/prática, mais esses valores ficarão arraigados no indivíduo não apenas na infância, como na vida adulta.

  • “O bom samaritano” (Lucas 10:29-35) – amor ao próximo.
  • “O joio e o trigo” (Mateus 13:24-30) – boas ações.
  • “O filho pródigo” (Lucas 15:11-32) – aborda o perdão.
  • “A ovelha perdida” (Lucas 15:4-7) – compaixão.
  • “Os talentos” (Lucas 19:12-27) – responsabilidade.
  • “Jesus e o jovem rico” (Mateus 19:16-22) – combate ao egoísmo.

   Agora você já sabe um pouco mais sobre como priorizamos o ensinamento das virtudes como parte das nossas iniciativas formativas. E se você chegou até aqui, pode ser que se interesse em conhecer uma atividade desenvolvida com nossos alunos sobre a importância dos vínculos na educação. Leia mais em nosso blog.