COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

Notícias  

Como posso ser solidário e empático com o próximo na quarentena?

26 maio 2020

Como posso ser solidário e empático com o próximo na quarentena?

A pandemia da COVID-19 provocou mudanças e interrupções em diversos aspectos da vida diária. Em tempos de quarentena e incertezas em relação ao novo coronavírus, é comum que as pessoas se sintam ansiosas e preocupadas. Além disso, muitas pessoas precisam de apoio emocional, financeiro e de recursos. A empatia e a solidariedade são atitudes cristãs de contribuir com o próximo.

 

O poder da solidariedade

O sentido das ações solidárias são: exercer assistência moral, espiritual ou material por simpatia, piedade ou senso de justiça. Por compaixão cristã, somos convidados a um compromisso de doação do nosso tempo e do que mais for necessário e viável para prestar ajudar àqueles que necessitam ou são injustiçados.

 

Benefícios da empatia

A empatia pode resultar em uma atitude solidária. Consoante à Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional (SBIE), a empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro e compreender suas emoções. Essa habilidade socioemocional apresenta inúmeros benefícios. Ela pode ajudar as pessoas a se sentirem menos sozinhas e mais conectadas com seus familiares e à sua comunidade. Dessa maneira, em tempos de quarentena e isolamento social, permite alcançar e dar suporte a quem mais precisa. Leia também sobre a importância das competências socioemocionais.

 

Fazer o bem: uma atitude cristã

De acordo com Breno Almeida, Coordenador de Espiritualidade do Colégio Magnum, dedicar-se à empatia e à solidariedade nos permite viver aquilo que Cristo nos ensinou, o amor ao próximo. “Fazendo isso estarei sendo um cristão verdadeiro, não apenas em palavras, mas também em ações”, diz.

Além de promover a conexão social e os comportamentos de ajuda, a prática melhora a capacidade de regular as emoções nos momentos de estresse, ou seja, contribui para a resiliência. Ademais, melhora o gerenciamento das emoções como a ansiedade, evitando a sobrecarga emocional, viabilizando a comunicação não violenta.

 

Como manter a empatia e a solidariedade em tempos de quarentena?

Algumas pessoas são empáticas por natureza, mas como apontam estudos, também há certas formas de desenvolver essa habilidade. Assim, ouvir e ajudar o outro, observar e se espelhar em ações solidárias podem ajudar no cultivo da empatia.

Conforme pontua Breno, é preciso pensar e viver cada vez mais de forma empática. Segundo ele, para que essa prática se faça presente em nossas vidas, devemos sempre nos colocar no lugar do outro.

 

Permaneça conectado

Dado o distanciamento social, é muito fácil se concentrar apenas em si mesmo. Todavia, cuidar do outro é uma das melhores maneiras de combater a sensação de isolamento.

Diante disso, demonstrar empatia e participar de ações úteis, seja através de doações materiais para uma instituição de caridade ou escrevendo uma nota de apoio a um amigo, pode aumentar a conexão social. Então, mesmo com a distância física de outras pessoas para impedir a propagação do vírus, você não precisa estar emocionalmente distante.

Como destaca Breno, para aquelas pessoas que não têm condições de fazer doações materiais, a espiritualidade também é um bom caminho. Ele afirma que “quando não se pode ajudar através de algo material, é possível contribuir com orações”.

 

Seja atencioso e compreensivo

Muitas vezes criticamos o outro sem procurar entender como a situação e as experiências dele estão afetando suas escolhas. Nesse sentido, em situações atípicas, é ainda mais fácil julgar outras pessoas, sem tentar compreender suas emoções. Por esse motivo, é primordial ter em mente que todos lidam de maneira diferente com os acontecimentos.

É válido destacar que muitas pessoas podem se sentir sobrecarregadas, como no atual cenário da pandemia. Sendo assim, embora não possamos controlar o comportamento do outro, somos capazes de controlar nossas próprias ações, fazendo a nossa parte para o bem comum, é o que indica o coordenador. Por exemplo, podemos compartilhar informações sobre a pandemia de fontes legítimas. Outra alternativa é encorajar amigos e familiares a ficar em casa, lavar as mãos com frequência e praticar o distanciamento social.

 

Seja empático

Em tempos de quarentena, a empatia é um meio de proporcionar a sensação de reciprocidade e gratidão. Tendo em vista isso, encontrar maneiras tangíveis de fazer o bem e melhorar a vida de outra pessoa pode ser uma fonte de conforto.

Se você estiver em uma posição financeira que lhe permita ficar em casa, ou possui uma atividade profissional que favoreça o home office, coloque-se no lugar do outro que não pode. Não julgue!

 

Seja solidário

Busque maneiras de apoiar as pessoas que passam por dificuldades. Ofereça-se para ajudar os vizinhos que talvez não possam sair de casa para comprar o que necessitam.

Comprar mantimentos e utensílios domésticos a mais são bons exemplos de alternativas pelas quais é possível oferecer assistência. Entretanto, é essencial ter cautela, pois comprar determinados itens em excesso pode dificultar que outras pessoas adquiram esses produtos.

Outra opção é doar bens não perecíveis para instituições e campanhas de caridade. Você também pode reunir itens de higiene pessoal e assistência médica para esses locais, para pessoas desempregadas ou em situação de vulnerabilidade social.

 

Pratique a empatia e a solidariedade em tempos de quarentena

 Permaneça conectado: mesmo com o isolamento social, você não precisa estar emocionalmente distante.

  • Seja atencioso e compassivo: procure compreender as escolhas do outro sem julgá-lo.
  • Exercite o amor ao próximo: quando você age com empatia pelos outros, eles respondem com empatia por você.
  • Faça parte de uma causa compartilhada: busque maneiras de apoiar as pessoas que estão passando por dificuldades.

 

Olhar para o próximo

Tal como enfatiza o Coordenador Breno, a empatia é importante para toda a vida, mas é ainda mais necessária em períodos de crise. Desse modo tal prática, em tempos de quarentena, não apenas abre sua mente para o que os outros estão vivenciando, mas fornece uma conexão social que pode combater a sensação de isolamento.

A solidariedade nunca foi tão indispensável, assim como a empatia, por isso devemos pensar nos outros e contribuir como for possível para que todos fiquem bem e possam lidar com esse momento atípico.

Instigar as pessoas para olhar para o próximo tem sido a mensagem do Papa Francisco "A misericórdia não abandona quem fica para trás… Não pensemos só nos nossos interesses. Aproveitemos esta prova como uma oportunidade para preparar o amanhã de todos. Sem descartar ninguém: de todos. Porque, sem uma visão de conjunto, não haverá futuro para ninguém", disse o pontífice durante a missa de Páscoa, segundo o Vatican News, site de comunicação da Santa Sé.

Conheça iniciativas apoiadas pelo Colégio Magnum pelo bem do próximo.

 

Casa Itapoã

Outra instituição apoiada pelo Magnum é a ONG Centro de Apoio e Combate ao Câncer Itapoã, de Belo Horizonte, a qual acolhe crianças em tratamento de câncer.  Por meio de uma campanha interna, intermediada por Breno Almeida, os colaboradores do Colégio contribuem com a arrecadação de fraldas infantis e geriátricas.

 

Fique Ide

O “Fique Ide” é uma campanha, cujo tema representa a importância de ficar em casa, mas também exercer o amor ao próximo que está mais precisando. Ela faz parte de uma iniciativa do Colégio Magnum em conjunto com Márcia Olandim, ex-educadora da instituição. A campanha é aberta ao público e tem como intuito reunir materiais de limpeza e alimentos não perecíveis, que serão destinados a moradores de rua.

Para participar da ação, é só levar sua doação até o Colégio Magnum Cidade Nova, no espaço “Mineirão”, de segunda a sexta-feira, no horário de 9h às 12h e de 14h às 17 horas.