COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

Notícias  

Crianças e música: desenvolvimento e aprendizado

30 outubro 2020

   A música é uma das ferramentas aplicadas no desenvolvimento cognitivo e motor das crianças. A utilização de atividades musicais logo nos primeiros anos de vida proporciona às crianças aprimoramento fisiológico, emocional e social.

   No momento em que as crianças entram em contato com a música emoções e lembranças são despertadas, estimulam o contato com os que estão a sua volta. Portanto, ela é um instrumento de aprendizado poderoso, que é utilizado por pais e professores na Educação Infantil.

   Quando introduzida na educação dos pequenos, a musicalização desperta áreas do cérebro que outras linguagens não desenvolvem, potencializando a memória, a atenção e o raciocínio lógico. Esse processo estimula o desenvolvimento da criança como um todo e não somente seu lado musical, proporcionando a formação de um ser integrado e único.

 

Música para crianças não é só diversão

   Muitas vezes, vista como apenas um espaço de entretenimento, as aulas de Música não só animam as crianças como contribuem de maneira eficaz no desenvolvimento cognitivo e na socialização entre os pequenos. Por meio do estímulo musical, é possível trabalhar a memorização e a capacidade motora, tornando o contato musical fundamental na Educação Infantil.

   Dessa forma, a música contribui significativamente na vida social da criança como um todo e no seu desenvolvimento até a vida adulta.

   De acordo com um estudo recente da Universidade de Northwestern, nos EUA, elementos presentes na música, como timbre e tom, favorecem o desenvolvimento da memória. Outro estudo, desta vez na Universidade do Arizona (EUA), constatou que pais que compartilham experiências musicais com seus filhos fortalecem seus laços emocionais.

   A professora de Música do Magnum Cidade Nova, Maria Luísa Carvalho, afirma que a prática da musicalização nas escolas evidencia bons resultados. “O desenvolvimento musical sistematizado é um processo contínuo que envolve o perceber, o sentir, o experimentar, o imitar, o criar e o refletir presentes em todas as etapas da formação da criança”. Ainda segundo a educadora, apresentar os sons desde cedo é importante, porque “na medida que vai crescendo a interação das crianças com o mundo sonoro, a música passa a estabelecer novas relações, tornando-as capazes de se comunicarem por meio dos sons, propiciando a criação de um repertório e consequentemente o desenvolvimento da fala”, reforça.

 

A música e o desenvolvimento do cérebro das crianças

   As pesquisas na área indicam que a música estimula essencialmente regiões do cérebro responsáveis ​​pelo processamento do som, desenvolvimento da linguagem, percepção da fala e habilidades de leitura. É o que apresenta os resultados iniciais de um estudo de cinco anos realizado por neurocientistas da Universidade do Sul da Califórnia (USC).

   O Brain and Creativity Institute (BCI) da USC iniciou em 2012 uma extensa pesquisa em parceria com a Los Angeles Philharmonic Association e o Heart of Los Angeles (HOLA). O objetivo foi examinar a contribuição do ensino de Música no desenvolvimento social, emocional e cognitivo das crianças.

   Os primeiros resultados do estudo, publicados recentemente na revista Developmental Cognitive Neuroscience, fornecem evidências dos benefícios da educação musical em uma época em que muitas escolas cortaram investimentos em Música e Artes. O estudo mostra que a instrução musical instiga a maturação da via auditiva no cérebro e aumenta sua eficácia.

   Os pesquisadores puderam demonstrar a existência de associações sistemáticas entre distintas habilidades musicais e linguísticas, ou seja, a percepção e a produção de ritmo foram os melhores preditores da consciência fonológica, enquanto a percepção da melodia foi o melhor preditor da aquisição gramatical. É por tudo isso que o Magnum Cidade Nova investe na música como ferramenta de ensino e formação.

 

Desenvolvimento psicomotor

   Trabalhar os diferentes ritmos musicais com as crianças cumpre uma função essencial no desenvolvimento da coordenação motora. A musicalidade desperta reações no cérebro que estimulam a criança a se movimentar ao ouvir sons, seja por uma dança, o bater de palmas ou até mesmo o sapateado dos pés.

   Por isso, além da importância de aprender a tocar instrumentos ou cantar, a integração entre atividades físicas, músicas e brincadeiras são eficazes e fazem muito sucesso entre a criançada. “Canções de ninar, jogos musicais, parlendas, brincadeiras de roda proporcionam à criança o aprimoramento de suas expressões corporais e do seu ritmo musical. Essas atividades permitem que as crianças criem vínculos afetivos com as pessoas ao seu redor”, enfatiza Maria Luisa.

   O ritmo corporal desenvolvido nas atividades musicais faz com que a criança tenha maior consciência de seu corpo e melhore seu equilíbrio. Não faltam os mais variados tipos de melodias que podem combinar cada uma com uma área corporal a ser estimulada. O foco é proporcionar às crianças um conhecimento maior dos seus movimentos e sentimentos. Elas serão capazes de entender como elas mesmas e os colegas se expressam e como as pessoas se relacionam musicalmente em todo mundo.

 

Pais e filhos musicais

   A plataforma de streaming de música Deezer publicou, em 2020, estudo com relatos de 10 mil pais com filhos menores de 18 anos sobre a sua relação com a música e as crianças no dia a dia. Foram ouvidas famílias de cinco países (Brasil, França, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos). A maioria dos pais revelou usar estratégias para fazer com que os filhos ouvissem as músicas deles, como colocá-las no carro ou dançar para deixá-las mais divertidas. Entre alguns dados levantados, ficou nítido que a música tem papel na relação emotiva com seus filhos.

-       85% acreditam na importância de ampliar os horizontes musicais dos filhos.

-       75% afirmaram que tentam influenciar os filhos com as escolhas musicais pessoais.

-       51% colocam para os filhos músicas que remetem à própria infância.

   O estudo também revela que momentos-chave que envolvem a música podem favorecer o desenvolvimento do vínculo entre pais e filhos. É o caso de uma canção favorita em comum, um show em que a família se diverte junto e a canção de ninar para que a criança pegue no sono. Entre os ritmos musicais mais escutados entre os pequeninos, o pódio ficou com Pop e Kids, Dance Music e Hip Hop.

   A Universidade do Arizona (EUA) tem a explicação para a relação da música com o fortalecimento dos laços entre as crianças e seus progenitores: as músicas remetem a sensações prazerosas nas crianças, como alegria e diversão, ou seja, se esses momentos também envolvem os pais, automaticamente a lembrança familiar se torna algo bom no cérebro dos mirins.

   A música é tão versátil, que pode ser usada como ferramenta para auxiliar os pais em momentos cotidianos das crianças: na hora de comer, de tomar banho, de brincar e de dormir.

 

Cinco dicas musicais para fazer com as crianças

 

  1. Dê ênfase ao escutar música: quando estimulamos os ouvidos e não os olhos, permitimos às crianças observarem atentamente os sons que as rodeiam.
  2. Coloque para tocar os mais variados gostos musicais, para estimular as crianças a terem contato com os variados ritmos e instrumentos.
  3. Músicas atuais, músicas de outros países, outras línguas, ou de tempos atrás são mais que válidas, tornando o ouvir da criança mais atento e mais sensível aos detalhes.
  4. Cante para e com a criança. Crie uma melodia para determinada atividade diária, imite os sons dos animais enquanto conta uma história e incentive a criança a fazer o mesmo da melhor forma possível.
  5. Monte uma playlist com a criança, para criar uma fusão entre o seu gosto e o dela.