COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA
UMA ESCOLA COMPLETA

Boletos 2022

COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA
UMA ESCOLA COMPLETA

Boletos 2022

Notícias  

Habilidades preditoras: o que são e como ajudam na leitura e na escrita?

03 maio 2022

Você já ouviu falar em habilidades preditoras?

Quando pensamos no desenvolvimento infantil na escola, uma das etapas mais importantes é a alfabetização. Não raro, familiares e conhecidos incentivam a relação das crianças com os livros e as palavras, acreditando que quanto mais cedo acontece uma introdução ao mundo das letras, melhor.

No entanto, isso não é verdade. De fato, a leitura e a escrita são essenciais para a trajetória estudantil. Mas, há também outras habilidades que devem ser desenvolvidas previamente, e que possibilitam uma melhor compreensão e elaboração de textos. São as chamadas habilidades preditoras.

Neste artigo, explicaremos o que são as habilidades preditoras, como elas ajudam no processo de alfabetização e de que maneiras elas podem ser desenvolvidas, dentro e fora da escola. Confira!

O que são as habilidades preditoras?

De modo geral, as habilidades preditoras são um conjunto de habilidades que devem ser desenvolvidas pelas crianças antes da aprendizagem da leitura e da escrita. Isso porque esta competência infantil se baseia na decodificação de signos, e as habilidades preditoras auxiliam nesse processo.

Tais habilidades costumam ser desenvolvidas a partir dos primeiros anos de escolarização, construindo aos poucos as bases sobre as quais a alfabetização poderá acontecer.
Como as habilidades preditoras ajudam na leitura e na escrita?

Podemos dizer que ler e escrever são funções intimamente ligadas às habilidades preditoras. Afinal, elas atuam como uma espécie de desenvolvimento “pré-alfabetizatório”, estimulado a partir de brincadeiras e exercícios lúdicos tanto em sala de aula, quanto em casa.

A partir dessas atividades, as crianças se familiarizam com os sons e os grafemas que, mais tarde, serão lidos e escritos. Por isso, quando elas atingem a fase ideal para aprender a ler e a escrever, o processo acontece com mais facilidade e de maneira mais natural.
Quais são as habilidades preditoras e como desenvolvê-las?
Existem cinco conceitos centrais que devem estar presentes na educação infantil e que contribuem para o processo de leitura e escrita. São eles:

1. Consciência fonológica
Esta é a habilidade preditora mais importante. Ela se baseia na capacidade de reconhecer e manipular os sons da língua materna, e, sem ela, o processo de leitura e escrita acaba sendo mais lento.

De acordo com a pesquisadora Flávia Lopes, da Universidade de São Francisco, a consciência fonológica se refere à noção de que a fala pode ser fragmentada (as frases em palavras; as palavras em sílabas; as sílabas em fonemas etc.). Ela também abrange a capacidade do indivíduo de realizar essa fragmentação.

Para desenvolvê-la, o ideal é que a criança aprenda a reconhecer sons semelhantes e processos de formação de palavras mais simples. Por exemplo, é possível mostrar para ela que a palavra “sapato”, sem a primeira sílaba, se torna a palavra “pato”. A “língua do pê” também pode ser uma aliada interessante no processo de desenvolvimento da consciência fonológica.

2. Fluência verbal
A fluência verbal, também chamada de oralidade, é a capacidade de falar as palavras em velocidade, precisão e expressão adequadas. Isso significa que a criança deve conseguir enunciar as palavras de maneira clara, sem que seja necessário se interromper ou tropeçar nos sons.

Uma maneira de estimular essa habilidade preditora durante a educação infantil é apresentar palavras às crianças e criar jogos nos quais elas devem ser repetidas. Brincadeiras com rimas também são uma opção, pois incentivam o uso de sons semelhantes e próximos na frase.

3. Conhecimento dos fonemas
O desenvolvimento dessa habilidade preditora foca no reconhecimento dos sons dos grafemas, antes que a criança seja capaz de reproduzi-los em texto. Isso significa que ela deve caminhar pelas letras do alfabeto, desde as vogais até as consoantes mais complexas, entendendo quais sons podem ser feitos com elas.

Para estimular essa habilidade, a brincadeira com rimas continua sendo uma boa aliada. Outro jogo possível é o de adivinhar palavras, no qual os familiares ou educadores podem dar dicas que levam em consideração os sons.

Outra dica é estimular jogos e brincadeira que envolvam identificar sons parecidos e palavras que possuem o mesmo som, mas não as mesmas letras (por exemplo, “xícara” e “chuva”, ambas com som de /x/). Assim, a criança se habitua aos diferentes fonemas.

4. Vocabulário
O desenvolvimento de um vocabulário rico também é uma importante habilidade preditora. Com ele, as crianças podem se familiarizar com as diferentes palavras da língua e será mais fácil reconhecê-las nos textos escritos.

Para expandir o vocabulário infantil, é interessante pensar em brincadeiras que apresentem às crianças novas palavras e objetos, como livros com animais selvagens. Outra opção é brincar de apontar para coisas que podem fazer parte do seu cotidiano, mas não da sua rotina em casa ou na escola, como prédios, carros, caminhões etc.

Assim, a criança aprende a identificar as diferentes coisas que a cercam. Durante o processo de alfabetização, ao se deparar com esses objetos, poderá nomeá-los com maior facilidade, e também imaginá-los sem dificuldade.

5. Compreensão
A compreensão é a habilidade preditora que diz respeito ao entendimento por parte da criança daquilo que está sendo dito a ela. Esta será a habilidade responsável pela habilidade de interpretar textos e informações, e de construir frases mais elaboradas, conforme o contato com a escrita for aumentando.

Para aumentar a compreensão, são recomendados jogos lógicos e de escuta. Brincadeiras em que sons são omitidos propositalmente e as crianças devem identificá-los ou em que a ordem direta de uma frase é confundida podem ajudar a estimular o desenvolvimento desta habilidade.

Qual é a importância de desenvolver as habilidades preditoras?


Já explicamos que as habilidades preditoras são importantíssimas para que a leitura e a escrita aconteçam de forma facilitada e orgânica na infância. Quando não desenvolvidas, ou se pouco praticadas, elas podem gerar uma futura dificuldade no processo de alfabetização.

Por isso, os professores devem ficar atentos aos alunos e a suas dificuldades durante as atividades de desenvolvimento das habilidades preditoras. Identificar um problema em algumas dessas habilidades nos primeiros anos pode fazer com que ele seja resolvido de forma mais rápida.

Além disso, essas habilidades, quando desenvolvidas desde os primeiros anos de ensino, ajudam a identificar questões de desenvolvimento infantil que podem ser importantes nos anos seguintes. Afinal, os educadores devem observar também se o que causa a dificuldade de desenvolvimento é o método de ensino ou uma questão individual do aluno.

Agora que você já conhece as habilidades preditoras e já sabe como elas ajudam na leitura e na escrita, não deixe de estimulá-las, em casa e na escola. Com isso, pode apostar que as crianças começarão a ler e a escrever de forma muito mais orgânica.