COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

Notícias  

Hábitos de autocuidado: da infância para a vida

22 julho 2021

  O autocuidado faz parte da rotina tanto de crianças quanto de adultos.

Mas, você já parou para pensar que este autocuidado, sobretudo na primeira infância (de 0 a 6 anos), é um estímulo à autonomia?

  No Magnum Cidade Nova, temos como foco acompanhar as crianças no caminho de descoberta do prazer em fazer diversas atividades sozinhas. É importante que as famílias e a escola tenham este enfoque de apostar e valorizar que a criança consiga fazer tarefas sem auxílio.

“Não podemos ter a ansiedade da coisa pronta e perfeita, como se fosse feita por um adulto.

 

Ao executar uma tarefa pela criança – seja pela pressa do tempo cronológico, seja pelo anseio de querer que tudo fique perfeito logo – o adulto atropela as oportunidades de a criança desenvolver a autonomia e as habilidades que surgem”, pontua Andréa Abreu de Paula, coordenadora do Maternal e do 1° Período da Educação Infantil.

  Por isso, é importante priorizar atividades que sejam hábitos positivos em nosso cotidiano, como por exemplo, cuidar da saúde e do bem-estar do corpo e da mente. É essencial que as crianças aprendam isso desde cedo tanto dentro de casa quanto no ambiente escolar. É parte de uma formação completa o estímulo da autonomia que pode ser conquistada por meio de hábitos de autocuidado.

 

O autocuidado e a estratégia de autonomia na prática
  Já vimos aqui que o autocuidado é, portanto, uma importante estratégia de cultivo da autonomia. E não é só isso. Quando a criança começa a cuidar dos seus itens sozinha, começa a se vestir sozinha e a comer sozinha, conquista habilidades que futuramente serão necessárias e/ou facilitarão o seu desenvolvimento motor e até mesmo cognitivo.
 

Por exemplo, o simples ato de segurar na colher para comer sozinho já é um estímulo para a pega correta do lápis para a escrita e o desenho. Olhar para a comida ao encher a colher, levando até a boca, desenvolve habilidades visuais que serão utilizadas pela criança depois, ao olhar para o quadro e copiar no caderno. “Precisamos entender que a autonomia vem de uma prática constante e a maneira com que interagimos com a criança cria possibilidades para que essa autonomia seja construída. Essas possibilidades são muito ricas para as crianças e, por isso, precisamos dar a oportunidade para que elas vivenciem sozinhas situações simples do cotidiano”, explica a coordenadora. Reforçar positivamente cada tentativa é de extrema importância, pois essa valorização dará cada vez mais estímulo para que as crianças persistam e avancem em seus objetivos.
 

Na volta às aulas presenciais da Educação Infantil, durante a pandemia, os alunos utilizam meias antiderrapantes como estratégia para evitar o uso do calçado utilizado em áreas externas. A professora do Maternal ensinou os alunos (crianças de 2 anos) a abrirem as meias com os polegares para colocar no pé. Depois de uma semana com as primeiras orientações, as crianças conseguiram fazer sozinhas a atividade de coordenação motora.

 

Aula de cuidados pessoais
  Uma das formas que o Magnum utiliza para inserir a autonomia na formação das crianças da Educação Infantil é aplicada nas aulas de cuidados pessoais. A atividade também completa a ideia de uma formação humana e multidisciplinar, porque valoriza não só o conhecimento por si só, mas também as habilidades socioemocionais envolvidas na proposta pedagógica do Colégio.
Portanto, ensinar paciência, respeito, equilíbrio e proatividade traz benefício próprio e permeia as atitudes a serem cultivadas também para o bem do próximo. Logo, cuidar do próprio corpo e do próprio bem-estar é estender essas habilidades, voltar o olhar para dentro e entender o que é necessário para uma vida em equilíbrio consigo e com aqueles que estão a sua volta.
 

A professora Bárbara Luma T. Mendoza, da Educação Infantil do Magnum Cidade Nova, conta um pouco mais sobre a importância da inserção dessa temática na educação. “Desenvolvemos um trabalho com os alunos, voltado para os cuidados pessoais, propiciando oportunidades e situações de aprendizagens. O objetivo é que eles sejam capazes de reconhecer seu corpo, as sensações que ele produz, conhecer progressivamente seus limites, e adotar hábitos de autocuidado relacionados à saúde, higiene, cuidados básicos com a aparência física e uma alimentação equilibrada”.
 

A educadora considera que o papel da escola está atrelado ao da família e que o trabalho em conjunto é responsável por estabelecer essas rotinas. Nesse sentido, as estratégias de autonomia, por meio do autocuidado na escola, são muitas. Elas são realizadas “com atividades lúdicas e brincadeiras envolvendo a temática na educação infantil”, conta. É dessa forma que, segundo Bárbara, “as crianças reelaboram, por meio da imaginação e do faz de conta, as diferentes situações vividas em seu cotidiano familiar, o que contribui para a consolidação de hábitos”.

 

Hábitos da infância para a vida
  “As aulas buscam favorecer a ludicidade, por entendermos que é com as descobertas que a criança faz, durante as brincadeiras e interações, que ela aprende de forma prazerosa e significativa”, segundo a professora.

Por exemplo, a participação em receitas culinárias na Cozinha Pedagógica, desenvolvidas no Magnum Cidade Nova com os alunos da Educação Infantil, permitindo que os alunos elaborem pratos saudáveis. Já a Hora da Fruta, momento diário na rotina escolar, proporciona às crianças hábitos de alimentação de qualidade. Ademais, o uso de fantoches e a leitura de histórias relacionadas ao tema estimulam as crianças a aprenderem sobre hábitos de higiene como tomar banho, escovar os dentes e lavar as mãos, atividades que retomam o conceito de autonomia.

E, ainda, para despertar a curiosidade das crianças, são realizadas algumas brincadeiras, como por exemplo, a “Caixa surpresa com produtos de higiene pessoal”. De acordo com Bárbara, trata-se de um momento com as crianças em roda, em que a professora vai retirando de uma caixa bastante atrativa vários produtos de higiene pessoal, como sabonete, shampoo, escova de dentes, creme dental etc. Juntos, conversam, manuseiam as embalagens e aprendem sobre a importância desses itens para a manutenção da higiene pessoal. 

  Em suma, conforme comenta Bárbara, “a maneira como praticamos o autocuidado refletirá na nossa qualidade de vida como um todo e, consequentemente, impactará positivamente nas nossas ações do dia a dia”. Além disso, contribui fortemente para o prazer das crianças de conquistarem a sua independência, executando tarefas simples do dia a dia, retomando o conceito da autonomia.

 

A pandemia e a preservação do autocuidado

  Com a pandemia, o estresse em alta e o tempo corrido, algumas rotinas podem ter sido deixadas de lado momentaneamente. Porém, é preciso que todos se esforcem, considerando as limitações impostas, para retomar as rotinas. “Torna-se essencial que atitudes de autocuidado e autonomia sejam levadas em consideração, para que adultos e crianças consigam realizar suas atividades laborais e escolares com qualidade, bem como consigam tempo para cumprirem suas atividades particulares”, completa a professora.


A professora deixa algumas dicas que podem auxiliar nesse processo:
• Organizar em casa um local próprio para as atividades escolares.
• Organizar a rotina da casa e da criança (a rotina da criança deve estar ao alcance dela, a fim de acompanhar as atividades ao longo do dia).
• Estabelecer prioridades (o que é mais urgente e o que pode ser feito depois), cuidar da aparência física, da alimentação e ter sono de qualidade.

  Por fim, Bárbara destaca que “é importante também estabelecer pequenas pausas durante a rotina de trabalho e de estudos”, reflete. Por exemplo, tomar água e até fazer uma caminhada podem ser consideradas pausas de autocuidado.

 

Pequenos hábitos levam longe
  É preciso, de acordo com a educadora, “entender que estamos vivendo um processo bastante diferente e que atitudes como essas, por mais simples que possam parecer, fazem muita diferença em nossa vida.” E cada mudança de atitude ou rotina pode trazer um benefício enorme no caminho da autonomia e do autocuidado. “Acredito que não há uma única atitude isolada, e sim, ações que bem desempenhadas nos garantem pontos positivos em nossa saúde como um todo”, conclui.

Leia mais sobre o ensino do autocuidado de forma lúdica e complementar.

Agora que você já sabe como o Magnum insere nas atividades o estímulo aos hábitos de autocuidado, veja também como é a abordagem em relação aos valores: leia aqui.

Se você quer mais dicas de como ajudar seu filho a mudar um hábito ruim e implementar uma rotina saudável, confira aqui os passos.