COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

Notícias  

Já brincou com as crianças hoje? Veja dicas com as melhores atividades para cada idade

18 junho 2020

   Todos nós sabemos que brincar é coisa séria. Por meio da brincadeira, as crianças aprendem sobre si mesmas e sobre o mundo que as cerca. O psicólogo bielo-russo Lev Vygotsky (1896-1934), bastante conhecido no meio da educação, refletiu bastante sobre esse assunto em suas obras. Para ele, inclusive, o ato de brincar é fundamental para a construção da personalidade durante a infância.

   O desenvolvimento da linguagem também é impulsionado por atividades lúdicas. Repare, por exemplo, que, mesmo quando a criança está brincando sozinha, ela cria uma comunicação com figuras imaginárias ou mesmo com seus próprios brinquedos. Do ponto de vista do desenvolvimento infantil, tudo isso é extremamente valioso.

  

O poder do lúdico na Educação Infantil

   Verificou-se que a atividade lúdica fornece uma evolução nas funções das habilidades psíquicas, da personalidade e da educação. Por meio dos jogos e brincadeiras, a criança aprende a controlar os seus impulsos, a esperar, respeitar regras, aumenta sua autoestima e independência, servindo também para aliviar tensões e diminuir frustrações, pois, através do brincar, a criança reproduz situações vividas no seu dia a dia, reelaborando através do faz de conta.

   Dessa forma, o lúdico proporciona, além de situações prazerosas, o surgimento de comportamentos e assimilação de regras sociais. Ajuda a desenvolver o intelecto da criança, tornando claras suas emoções, angústias, ansiedades, reconhecendo suas dificuldades, proporcionando assim soluções e promovendo um enriquecimento na sua vida interior.

   As observações são da coordenadora auxiliar de Formação da Educação Infantil e do 1º Ano do Ensino Fundamental do Magnum, Andréa Abreu de Paula.

 

Na prática: aprender brincando

   Aqui no Colégio Magnum Cidade Nova, jogos, brincadeiras e dinâmicas estão sempre presentes em todos os níveis de ensino, até porque a prática de atividades lúdicas é considerada um direito do aluno, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Dessa forma, trabalhamos conteúdos curriculares e também as tão importantes habilidades socioemocionais.

   Em março, por exemplo, antes da suspensão das aulas devido à pandemia de COVID-19, as turmas do 2º Ano do Ensino Fundamental se envolveram em uma dinâmica que focou a importância de acolher e ser acolhido.

 

Crie um universo lúdico e criativo em sua casa

   O atual momento que estamos vivendo, com as aulas presenciais da Educação Infantil e demais etapas escolares suspensas para conter o avanço do novo coronavírus, requer que os pais se envolvam ainda mais nesse processo educativo e afetivo do brincar.

   Para a coordenadora auxiliar de Formação Andréa, antes de tudo, é muito importante que os pais não se coloquem o tempo todo no controle da brincadeira. “É preciso dar liberdade à criança para que ela dê asas à sua imaginação. Isso é muito bom para o seu desenvolvimento, da sua imaginação e autonomia”, comenta.

   Muitas vezes, os melhores brinquedos ou brincadeiras são inventados pelas próprias crianças. Uma caixa de papelão pode ser uma casa, um carro, um foguete…

   A educadora também ressalta que, em todas as idades, brincadeiras lúdicas como ‘brincar de casinha’ são essenciais para as crianças aprenderem as práticas de cuidado que são tão importantes na vida de todos nós e também sobre a importância dos vínculos familiares. “Esse faz de conta de fazer comidinha, colocar os bonecos ou bonecas para dormir, brincar de médico etc. deve ser bastante estimulado”.

   Por meio do brincar, a criança experimenta, descobre, inventa, adquire habilidades. Além de estimular a criatividade, a autoconfiança, a curiosidade, a autonomia, proporciona o desenvolvimento da linguagem, do pensamento e da concentração, considerando-se a situação de alguns jogos e brincadeiras, e consequentemente gerando uma maturação de novos conhecimentos.

 

Aspectos que podem ser trabalhados no ato de brincar

  •  físico-motor: desenvolvimento de habilidades corporais e fortalecimento muscular.
  •  intelectual: ajuda a criança a compreender situações e a resolver problemas.
  •  criativo: estímulo à imaginação e ao pensamento abstrato.
  •  emocional: ajuda na assimilação de vivências e na superação de dificuldades.
  • social: promove o aprendizado sobre regras de convivência.
  • cultural: a criança entra em contato com a cultura que a cerca.

 

Dicas de brincadeiras

Veja abaixo algumas dicas de brincadeiras educativas, selecionadas por faixa etária, pela da coordenadora auxiliar de Formação da Educação Infantil e do 1º Ano do Ensino Fundamental do Magnum, Andréa Abreu de Paula.

 

Dos 2 aos 3 anos de idade

Incentive a linguagem e o desenvolvimento motor.

  • Brincadeiras musicais

   O brincar musical é uma forma de expressão bem natural da criança. Ela canta, dança, movimenta-se de modo natural e espontâneo. Nós adultos podemos explorar ainda mais essa relação, proporcionando maior contato com esse mundo sonoro que está ao nosso redor, criando possibilidades de novos sons, novos movimentos corporais, mostrando e explorando as infinitas possibilidades sonoras existentes.

   De acordo com a professora de Música do Magnum, Maria Luísa, brincar de estátua é um bom exemplo de como a música pode produzir momentos divertidos. Tudo é muito simples. A música é escolhida. Assim que ela começa a tocar, todos devem dançar. Quando a música parar todos deverão ficar imóveis.

   “Mas o que há de tão valioso nesta atividade? Em primeiro lugar, o adulto pode aproveitar a oportunidade para enriquecer o repertório da criança, escolhendo a música a ser tocada. Essa escolha pode explorar um determinado instrumento, um ritmo, um estilo musical... São inúmeras as possibilidades. Contar para a criança a história daquela música, do seu compositor, do momento em que ela foi criada ou a importância dela em sua vida”, comenta Maria Luísa. A partir disso, a criança vai começar a perceber o contraste que há entre o som e o silêncio, a concentração, a expressão corporal e a atenção.

   Está sem ideia de músicas? Inspire-se no trabalho da elogiada dupla musical infantil:Palavra Cantada.

  •  Faça pequenos circuitos com obstáculos

Crie circuitos com obstáculos em casa, usando almofadas, colchões, cadeiras etc. Ensine a criança a fazer esse percurso de diferentes formas de cada vez. Desviar-se de obstáculos ou passar por baixo de uma cadeira, por exemplo, é uma forma de a criança começar a desenvolver a noção de espaço.

 

Aos 4 anos

Hora de trabalhar a discriminação auditiva e visual.

  • Mia, Gato!

Brincadeira de roda, em que um dos participantes fica de olhos vendados. Assim, sem o sentido da visão, precisa identificar quem está miando, o que é muito importante para o desenvolvimento de uma memória auditiva.

  • Quem não está aqui?

Também em roda, pedir para todas as pessoas observarem bem quem está na brincadeira. Em seguida, colocar uma venda nos olhos de uma das crianças. Depois disso, pedir a uma das pessoas para se esconder em outro local. A criança terá então que dizer quem não está mais ali, trabalhando assim a sua memória visual.

 

Aos 5 anos

Trabalhe o corpo, o equilíbrio e o universo dos números.

  • Amarelinha

Como os jogadores precisam pular em um pé só, a atividade contribui para o desenvolvimento do equilíbrio. Além disso, exercita a contagem e cria familiaridade com os números. Outra brincadeira que favorece o equilíbrio, agilidade e ritmo é pular corda.

  • Cama de gato

Em um corredor, fazer um entrelaçado com elásticos ou barbantes. Ensinar a criança a passar por entre os espaços sem encostar nos elásticos. Para ficar mais divertido, prender sininhos nos elásticos para que eles façam ruídos quando forem tocados.

 

Aos 6 anos

Aumente o vocabulário das crianças;

   O famoso jogo Stop favorece a capacidade criativa, a agilidade de raciocínio e melhora o vocabulário das crianças. A mecânica do jogo é muito simples: cada participante desenha uma tabela numa folha de caderno, com itens como nome, cor, animal em cada coluna. Em seguida, sorteia-se uma letra do alfabeto e todos os jogadores precisam escrever um exemplo de cada item com a inicial sorteada.

   Nessa idade, as crianças também gostam de colecionar álbum de figurinhas. Dependendo do tema do material, uma diversidade de temas pode ser trabalhada.

 

📌 E aí, gostou das nossas sugestões?

Ajude outros pais e compartilhe este conteúdo em suas redes sociais.

 

Estamos também no Instagram, Facebook, Linkedin, YouTube.