COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

COLÉGIO MAGNUM CIDADE NOVA

UMA ESCOLA COMPLETA

Notícias  

Lições do ensino remoto: o que fica de aprendizado para o segundo semestre?

09 junho 2020

Durante esses meses de quarentena, grande parte da população precisou adaptar suas rotinas à nova realidade do País. E para os estudantes não foi diferente. Afinal, o ensino remoto foi adotado com o objetivo de dar continuidade ao ano letivo.

Com o início do segundo semestre letivo, professores, famílias e alunos trazem na mochila hipotética da vida as experiências de adaptação nos últimos meses e da vivência do ensino on-line.

Neste artigo, apresentamos algumas dicas essenciais para melhorar ainda mais a rotina escolar.

Aprendizados do primeiro semestre de ensino remoto na quarentena 

De acordo com o coordenador pedagógico da 3ª Série do Ensino Médio, Marco Antônio, para começar esta nova fase da melhor forma, é preciso dialogar com todos os envolvidos: pais e/ou responsáveis, professores e alunos, buscando compreender o que funcionou e poderá ser mantido para o segundo semestre, e o que não foi tão bom e precisa ser readaptado.

“O diálogo é importante, para que todos os sujeitos compreendam as limitações e os desafios de cada um. E saibam que, mesmo com toda a dedicação, nem sempre tudo vai sair da melhor forma. Então, precisamos ser flexíveis”, aconselha o coordenador. 

 

O papel da família na adaptação do aluno às aulas on-line

Neste momento de isolamento social, é muito importante que os pais e responsáveis sejam facilitadores, ajudando os filhos a se organizarem para a nova rotina de estudos.

Essa adaptação pode ser um desafio, principalmente no caso de famílias que precisam orientar dois ou mais estudantes. Nesses casos, é preciso compreender as necessidades de cada um e criar métodos de estudo individuais.

No caso de alunos do Ensino Médio, que já possuem maior autonomia, “a orientação costuma ser mais dinâmica. Mas, no caso de estudantes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, a mentoria dos pais, escola e professor é ainda mais essencial,” esclarece Marco Antônio.

Para ajudar a família nessa orientação, o coordenador pedagógico listou cinco práticas fundamentais para o início do segundo semestre letivo em tempos de quarentena.

 

  1. Organizem juntos um ambiente adequado aos estudos

Segundo o coordenador pedagógico, é muito importante que o estudante tenha um ambiente agradável e adaptado aos estudos, dentro das condições possíveis oferecidas pela casa, claro. “Portanto, o aluno deve procurar um lugar arejado, longe de distrações e silencioso, dentro do possível.  Esses detalhes vão favorecer a rotina de estudos.”

 

  1. Criem uma rotina, com horários determinados para cada atividade

Assim como no regime letivo presencial, em que o aluno e toda a família possuem uma rotina de horários e de atividades, isso precisa ser mantido em casa. O educador salienta a importância de “adaptar o cronograma de estudos ao novo contexto da família”. Para isso, preparem um planejamento conjunto, com horários para a realização das atividades essenciais do dia.

 

  1. Incentivem o aluno a explorar a diversidade de recursos disponíveis

Se a família está percebendo que o aluno não está se adaptando às aulas por videoconferência, deve ajudá-lo a estudar, utilizando outros recursos como livros, audiobooks e apps de gamificação.

A criação de grupos de estudos com os colegas de classe também é um recurso positivo, segundo o coordenador pedagógico. "Assim, o aluno tira dúvidas com os amigos e se reaproxima das pessoas que fazem parte do seu convívio escolar”, aponta o educador.

 

  1. Favoreçam o diálogo entre aluno, família e escola

Essa é uma prática primordial. Por isso, coloquem-se à disposição para ouvir o estudante e, também, para dialogar com a escola, que se coloca como mentora. Dessa forma, todos os sujeitos envolvidos são beneficiados.

 

  1. Entendam as dificuldades e sejam flexíveis

Neste período de adaptações, é necessário compreender os desafios de cada indivíduo envolvido no processo. Por isso, sejam flexíveis. Se a família sentir que necessita de uma mentoria especializada em educação, “deve buscar o suporte da escola. Ela é a referência em orientação educacional, principalmente para pais que não se sentem preparados em oferecer esse tipo de suporte aos filhos”, orienta Marco Antônio.

 

O papel da escola na mentoria dos estudos em casa

A escola cumpre um papel fundamental nestes tempos de ensino remoto, principalmente porque é a referência em metodologias de educação. Marco Antônio afirma ainda que “a escola deve saber orientar e pensar com os pais, apresentando-se como uma facilitadora no processo”.

Essa adaptação se faz necessária, pois a mentoria dos alunos por aulas on-line é diferente das situações de aulas presenciais e, por essa razão, exige uma maior dedicação. Com a tecnologia, esse contato é otimizado. Por isso, o Magnum se faz presente por meio das Plataformas Moodle (Magnum-SOL), Microsoft Teams e Zoom (Educação Infantil), para famílias e alunos. Além disso, todas as coordenações estão disponíveis para dialogar com seus alunos e pais e/ou responsáveis. 

“A escola está sempre atenta para que as orientações e informações tenham a maior clareza possível. Nosso foco é estabelecer um canal de comunicação aberto, claro e objetivo com as famílias”, reforça o coordenador.

Outra ferramenta de mentoria mantida pelo Colégio no contexto da quarentena é o projeto “Magnum Superação”, que visa, com suporte de uma professora tutora, desenvolver técnicas de estudo e organização de tempo para os alunos que buscam uma orientação. Os encontros são semanais (toda segunda-feira), agora em ambiente virtual, pela plataforma Microsoft Teams.

Com essas práticas, o Colégio afirma o seu compromisso em orientar e prestar suporte a toda comunidade escolar durante o período de quarentena.

Saiba mais sobre o Colégio Magnum aqui.

Gostou deste artigo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais. Estamos também no Instagram, Facebook, Linkedin, YouTube.